Malmequer


Pandereiteir@s e festeir@s da beira atlántica da Galiza


Malmequer
malmequer.vigo@gmail.com
 GAVETAS
 OS SERÁNS (Sección de consulta)
 FOTOS PARA A HISTORIA
 LIGAZÓNS
 BUSCADOR
 BUSCAR BLOGS GALEGOS
 ARQUIVO
 ANTERIORES

Projecto Mourente volta con A pior
A pior é o título do novo traballo de Projecto Mourente. Carlos Valcárcel renova a súa aposta polo pop electrónico cun álbum de dez cortes no que conta con colaboracións de diferentes músicos do país como The Homens ou Andrés Boado.

Polo momento a obra está dispoñible unicamente en edición dixital no web Bandcamp, aínda que Valcárcel está a negociar a posibilidade dunha edición física que prevé financiar mediante Crowdfunding. Para setembro ten previsto desenvolver os concertos de promoción do no álbum que está autoeditado. A gravación realizouse de xeito doméstico e a mestura e a masterización correou por conta de Tomás Ageitos nos estudios de A Ponte.

Começou a contagem regressiva: já temos data para o lançamento digital de “A pior”. Será o 22 de maio… se nada se torce. Os dez temas estarám disponíveis no Bandcamp do Projecto Mourente, onde, se che parece bem, poderás fazer achegas económicas. “A pior” também se poderá escuitar e comprar no Spotify, no Itunes e noutros sites de descarga e partilha de músicas. O preço de saída é de 6€. Também poderás descarregar o novo álbum gratuitamente no site de Komunikando. Haverá ediçom física? Isso dependerá de ti, da gente, de se gostades das canções e sobretodo da demanda que houver.

No álbum colaborárom muitas persoas. The Homens tocam em “Afilia-te!”, onde o Xocas mesmo passou polo vocóder. O Martin Wu toca também a guitarra em vários temas máis. Alguma guitarra pudemos salvar também do Álex López, que acompanhou o Projecto Mourente nos concertos do “Kara.o.ke”. Mar K John canta em “Alguém que me queira” e Quincho Araújo, dos Carrero Bianco, toca a guitarra em várias canções. Fazendo coros, além de Yolanda, colaborou também Andrés Boado. Todos passárom polo apartamento da Almáciga ao longo de todo o tempo que demorou a gravaçom do álbum. Foi um prazer tê-los na casa. De novo, nengum vizinho protestou e já alá vam dous álbuns que se gravárom alô!

Para fazermos “A pior” nom houvo pressa nenguma. É o que tem o DYS. Porém, si houvo algum quarto que se empregou em levar os temas aos estúdios d’A Ponte. Ali um paciente Tomás Ageitos aquelou o som e deu-lhe jeito às canções. Muito se aprendeu com el!

Agora que todo chega ao final estamos um pouquinho tristes porque para o Projecto Mourente o realmente divertido foi sempre juntar gente para fazer músicas na casa. A partir do 22 de maio, e baixo licença Creative Commons, o álbum já nom será só nosso, será sobretodo vosso! Se tedes preguntas ou ideias para o projeto, podedes achegá-las polo Twitter (@pmourente) ou na nossa página do Facebook. Contades para trás connosco?

www.projectomourente.com
Comentarios (0) - Categoría: Novas - Publicado o 24-05-2012 10:02
# Ligazón permanente a este artigo
Chuza! Meneame
Deixa o teu comentario
Nome:
Mail: (Non aparecerá publicado)
URL: (Debe comezar por http://)
Comentario:
© by Abertal
free web counter

contador de malmequeriáns dende o 1 de marzo 2007








Galiza

Malmequer